Globo tentou reforma vespertina no século passado

A Globo finalmente se acertou com o começo de tarde e hoje aposta na reprise da novela “O Cravo E A Rosa” (2000) para turbinar sua audiência de segunda a sexta-feira, após anos em crise com a derrocada do “Vídeo Show”.

Mas, no fim dos anos 1990 a rede tentou algo com sua mais recente contratada Ana Maria Braga. Quem vê a loira consolidada no período matinal, não faz ideia que o começo de sua passagem pela maior rede do país foi justamente entre Miguel Falabella e a reprise da novela “A Indomada” (1997).

O expediente não deu certo e o “Mais Você” logo migrou para as manhãs, onde reina soberano nos dias atuais. Sem concorrentes, Braga consegue fazer muito bem a transição do jornalismo feito no “Bom Dia Brasil” para as pautas de entretenimento, que ligam o formato ao seu sucessor na grade.

A próxima mudança vai transformar a palmeirense no produto mais longo das manhãs do canal carioca, já que o “Encontro” vai mudar de formato, comando e será refundado.

No começo, a mãe de Louro José apanhava para as reprises batidas do seriado mexicano “Chaves” e jogava na lama a audiência para o enredo de Aguinaldo Silva.